Nova categoria Empreendedorismo Industrial é destaque por conectar grandes empresas a startups de base tecnológica

Projetos inovadores terão incentivo de mais de R$ 53,6 milhões neste ano para serem desenvolvidos e chegarem ao mercado. O novo Edital de Inovação para a Indústria, antes conhecido como Edital Senai Sesi de Inovação, já está recebendo inscrições de empresas de todos os portes e startups interessadas em financiar ideias de produtos e processos inovadores.

Criado em 2004, neste ano há duas novas categorias: Inovação Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas Industriais, MEI e Startups e Empreendedorismo Industrial. Felipe Couto, gerente de inovação e tecnologia do Sistema Fiep, destaca a importância da categoria Empreendedorismo Industrial, que objetiva incentivar a conexão entre grandes empresas e startups de base tecnológica. “O Corporate Venture é uma tendência global que chegou ao Brasil. As Grandes Empresas estão se inserindo no movimento das startups, validando novos modelos de negócios e novas tecnologias que poderão ser absorvidos no futuro”, afirma Couto. Esta nova categoria vai de encontro à esta tendência, reduzindo ainda mais os custos das médias e grandes empresas e aumentando a qualidade das startups que, além da prototipação e desenvolvimento das tecnologias, serão aceleradas nos Institutos Senai.”

O gerente de inovação e tecnologia enfatiza que a inovação é mais que um modismo, é uma necessidade para a sobrevivência no mercado. “É aí que está a importância do Edital de Inovação para a Indústria, um dos meios para as empresas captarem recursos externos para inovar.”

A meta é financiar 285 projetos com custo individual de R$ 75 mil a R$ 400 mil. A expectativa é beneficiar, já em 2017, projetos de inovação oriundos de 150 a 200 pequenos negócios.

POTENCIAL INOVADOR
Os projetos serão selecionados em três ciclos com base em critérios como potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo. Toda e qualquer empresa do setor industrial e startups de base tecnológica podem inscrever propostas no site www.editaldeinovacao.com.br nas seguintes categorias:

A) Inovação Tecnológica para Grandes e Médias Empresas: projetos de até R$ 400 mil apresentados por empresas industriais desses portes de todos os segmentos. O objetivo é o desenvolvimento tecnológico para transformar ideias em inovação em fato; validação de conceitos, plantas-piloto, melhorias de desempenho, testes em geral, acreditação, utilização de técnicas para produção em escala etc.

B) Inovação Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas Industriais e Startups: projetos de até R$ 400 mil apresentados por empresas industriais desses portes de todos os segmentos. O objetivo é o desenvolvimento tecnológico e demais necessidades para transformar ideias em inovação em fato, colocando os produtos e processos inovadores no mercado. São feitos validação de conceitos, plantas-piloto, melhorias de desempenho, testes em geral, acreditação, utilização de técnicas para produção em escala etc.

C) Empreendedorismo Industrial: instituições âncoras (grandes empresas, investidores e parceiros) apresentam desafios a serem solucionados por interessados (startups de base tecnológica e micro e pequenas empresas). Entre as soluções apresentadas, a instituição âncora escolherá com qual empresa quer trabalhar. Cada projeto recebe investimento de até R$ 400 mil.

D) Inovação em Saúde e Segurança do Trabalho e Promoção da Saúde: desenvolvimento de adaptações ou customizações de novas tecnologias, serviços inovadores, soluções nos processos e produtos aplicados às demandas industriais. Os projetos serão realizados durante 18 meses, com investimento máximo de R$ 150 mil por proposta.

E) Inovação Setorial em Segurança e Saúde no Trabalho e Promoção da Saúde (para indústrias de construção, frigorífico e mineração): desenvolvimento de novas tecnologias, serviços inovadores, soluções nos processos e produtos aplicados às indústrias prioritárias. Inclui temas como higiene ocupacional, ergonomia, gestão de fatores psicossociais, do absenteísmo e retorno ao trabalho, longevidade, métricas para a saúde, entre outros. Os projetos serão realizados durante 18 meses, com investimento máximo de R$ 300 mil por proposta.

F) Empreendedorismo Industrial em Segurança e Saúde do Trabalho e Promoção da Saúde: desenvolvimento de aplicativos ou ferramentas tecnológicas de soluções para segurança e saúde do trabalho e promoção da saúde do trabalhador. Os projetos serão realizados durante 12 meses, com investimento máximo de R$ 75 mil por proposta.

STARTUPS TECNOLÓGICAS
Desde a primeira edição, o Edital de Inovação já mobilizou R$ 380 milhões em aproximadamente 700 projetos inovadores de 600 empresas. Entre os selecionados, 76% foram apresentados por pequenas empresas e startups de base tecnológica. O edital prevê um bônus de 100 pontos para as seguintes startups inovadoras:
• Formadas a partir de projetos finalistas do INOVA SENAI Nacional a partir de 2015;
• Finalistas da fase 3 do programa Inovativa Brasil do MDIC a partir de 2014;
• Apoiadas pelo programa Startup Brasil do MCTI a partir de 2016;
• Finalistas das edições do Lemonade a partir de 2016;
• Vencedoras do ITA Challenge a partir de 2016;
• Selecionadas pelo SENAI no Open 100 Startups a partir de 2016;
• Selecionadas pelo programa Startup Farm a partir de 2016
• Selecionadas por programas de Aceleração ou Incubação do Sistema Indústria
• Vencedoras do prêmio de Inovação da AHK
• Empresas participantes do Programa Agentes Locais de Inovação;
• Empresas participantes do Programa Encadeamento Produtivo do SEBRAE;
• Empresas atendidas pelo Sebrae na carteira de startups Sebrae Like a Boss;
• Empresas atendidas pelo Sebrae em Projetos de Alto Impacto ou Scale Up;
• Empresas finalistas do Programa Inovativa;
• Empresas instaladas ou graduadas em Parques Tecnológicos, aceleradoras ou incubadoras de empresas.

Em 2016, o Edital recebeu 886 propostas e investiu R$ 23,5 milhões em 73 projetos aprovados nas três seleções. Da lista de projetos aprovados, 33 foram apresentados por startups, 18 por pequenas, 11 por médias e 11 por grandes empresas. A agência de inovação sueca Vinnova, a aceleradora de empresas Techmall S.A e a Fundepar, gestora de um programa de investimentos para firmas emergentes, já apresentaram desafios específicos solucionados por jovens empresas e startups.

Além do fomento, o Senai e o Sesi oferecem apoio na forma de infraestrutura. Uma rede nacional com 25 Institutos de Inovação realiza pesquisa tecnológica e desenvolve novos produtos e soluções diretamente com empresas de todos os portes. O Senai conta ainda com 57 Institutos de Tecnologia com 1,2 mil especialistas que prestam serviços em áreas como metrologia, testes de qualidade, consultoria em processos produtivos específicos de diferentes setores, entre outros. Parcerias com Institutos de Ciência e Tecnologia, a maioria presentes em universidades públicas, também ajudam a concretizar as ideias selecionadas.

SERVIÇO
www.editaldeinovacao.com.br
Período de submissão das categorias A e B: de 20 de março a 6 de novembro de 2017, empresas interessadas no financiamento podem apresentar propostas.
Anúncio das seleções das categorias A e B: os resultados são apresentados em três datas: 24 de julho e 6 de novembro de 2017 e 19 de fevereiro de 2018
Apresentação de desafios por instituições-âncora na categoria C: de 20 de março de 2017 a 27 de janeiro de 2018 no endereço www.editaldeinovacao.com.br. Os selecionados são anunciados ao longo do ano.
Período de submissão das categorias D, E e F: de 20 de março a 23 de agosto de 2017, empresas interessadas no financiamento podem apresentar propostas.
Anúncio das seleções das categorias D, E: os resultados são apresentados em 16 de novembro e 5 de fevereiro de 2017.
Anúncio das seleções da categoria F: os resultados são apresentados em 1º de julho e 5 de outubro de 2017.

SOBRE O SISTEMA FIEP
O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis, e oferecem serviços voltados à segurança e saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e aperfeiçoamento profissional, além de capacitação executiva.

Fonte: Agência Fiep

Send this to a friend